call us (+351) 961 713 832 | Write us
  • If you be so Kind

MEDLAR ‘S TIME ||| É TEMPO DE NÊSPERAS

EN

MEDLAR’S TIME –part I

It is time for Loquat Medlars! … By the way, let’s face it, it’s time for “magnórios”. Yes, magnoriós!

In lands north of Portugal this fruit should not be confused. The loquat is in fact the most common term to describe the delicious Japanese Eriobotrya species in a large part of the Portuguese territory. Originally from China, the leaves of this species trees originated during the Middle Ages, more specifically during the Tang Dynasty, a tea often called “biwa cha”, originally imported by Japan from China at that time.

But it is important not to confuse certain facts. In lands of Douro and Minho, a “medlar/néspera” is actually a “magnório” and a “medlar” is so simply a “medlar” – for those who still don’t understand, they are all fruits from the same families, Rosaceae, but fruits with quite diferente pulps, flavors and textures. The medlar, Mespilus Germanica, is a wintery variety, typical of southest Europe, and was one of the medieval delicacies widely appreciated in old Europe by the people of its time. Referred by Shakespeare on at least four of his works, is widely mentioned in the work of “Romeo and Juliet” and not for the most noble reasons…. But about this secular and very peculiar variety, currently unknown to the vast majority of us, we will talk later here on our Tours & Tales blog.

For now here is our suggestion for true connoisseurs of sublime flavors and aromas: it is time to delight yourself with one of the most emblematic fruit of the current moment, the medlars! Therefore it is important not to forget that it’s time for medlar yet the loquat medlar- the “Magnório”. This is a seasonable fruit that is not actually available at any other time of the year. For those who have not yet had the opportunity to enjoy this delicate fruit, here is a brief note from T&T: this is a fruit that should be eaten relatively mature, so when choosing to taste your first magnório, do not want the most beautiful and immaculate fruit. In fact, there are fruits that should be appreciated riped. Enjoy the delicacie and don’t get confused: it’s time for Medlars yet the Loquat ones, the Magnórios! ;-))

PT

É TEMPO DE NÊSPERAS – parte I

É tempo de nêsperas!… Aliás convenhamos, é tempo de magnórios. Sim, magnórios!

Em terras do norte de Portugal convém não confundir as frutas. A nêspera é de facto o termo mais  comum para descrever a deliciosa espécie Eriobotrya japónica  numa grande parte do território português. Originária da China, as folhas das árvores desta espécie terão originado durante a idade média, mais especificamente durante a dinastia Tang, um chá frequentemente denominado por “biwa cha”, originalmente importado pelo Japão à China daquele tempo.

Mas convém não confundir certos factos.Em terras do Douro e Minho uma “nêspera” é na realidade um “magnório” e uma “nêspera” é tão simplesmente uma “nêspera” – para quem ainda não entendeu são tudo frutas da mesma famílias, as Rosaceae,  mas no entanto frutas de polpas,sabores e texturas bastante diferentes.  A nêspera, Mespilus germânica,  é uma variedade invernosa, típica do sudeste europeu, e terá sido uma das iguarias medievais largamente apreciada na velha Europa pelas gentes de seu tempo. É aliás referida por Shakespeare em pelo menos em quatro das suas obras, sendo mais amplamente mencionada na obra de “Romeu e Julieta” e não pelas razões mais nobres…. Mas sobre esta variedade centenária e muito peculiar, actualmente desconhecida pela grande maioria de todos nós, falaremos mais tarde aqui no nosso blog da Tours & Tales.

Por agora, fica a nossa sugestão para os verdadeiros apreciadores de sabores e aromas sublimes: é tempo de nos deleitarmos como uma das frutas emblemáticas da época, os magnórios! Assim sendo, convém não esquecer que é de facto tempo de Magnórios e que esta é uma fruta sazonal que não se encontra de facto disponível em mais nenhuma altura do ano. Para aqueles que ainda não tiveram a oportunidade de se deleitarem com este delicado fruto aqui fica uma breve nota da T&T: esta é uma fruta que deve ser comida relativamente madura, portanto ao escolher provar o vosso primeiro magnório, não queiram aquele que a vossos olhos parece o mais belo e imaculado fruto. De facto há frutos que deverão ser apreciados maduros. Bom apetite e não se confundam: é tempo de Magnórios! ;-))